O papel dos sistemas de gestão ambiental nas transições para a sustentabilidade

Os Sistemas de Gestão Ambiental (SGA) têm sido uma das ferramentas mais utilizadas pelas organizações, de todos os tipos e dimensões, para promover a ecoeficiência, a oferta de bens e serviços com reduzido impacte ambiental, e a adoção de padrões de produção e consumo sustentáveis. Desde logo, uma das principais mais-valias dos SGA consiste, como a designação indica, no seu funcionamento sistémico. Os diferentes elementos do sistema estão interrelacionados e funcionam em conjunto para a obtenção de um objetivo comum. Ao promover uma gestão sistémica das pressões ambientais das organizações, os SGA introduzem um vocabulário específico partilhado por todos os elementos, mecanismos de comunicação, objetivos explícitos e partilhados, e uma gestão adaptativa através de ciclos de retroação que visam a melhoria contínua do desempenho ambiental.

A Norma ISO 14001 e o Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria (EMAS) são os dois referenciais mais procurados na Europa para a implementação e certificação de SGA. Ao longo de mais de duas décadas, o número acumulado de certificações de SGA segundo a ISO 14001, bem como o número de registos no EMAS, exibiu um crescimento significativo, apesar desta tendência ter sofrido uma desaceleração em anos recentes [1; 2]. O Quadro 1 sintetiza as principais motivações, fatores de influência e resultados típicos da implementação de SGA.

Na sua essência, a decisão de implementar e de manter um SGA depende de um forte compromisso da gestão de topo e do balanço que uma organização realiza entre os benefícios observados e os custos suportados com o sistema. O desfasamento por vezes observado entre as expectativas e os resultados obtidos contribui para diferentes perceções das organizações sobre a eficácia da certificação ambiental [7]. No entanto, tem sido consensual que os SGA são uma ferramenta-chave para promover a melhoria do desempenho e reduzir custos associados aos aspetos ambientais das atividades, produtos e serviços das organizações. (...)

Em colaboração com Patrícia Tourais, investigadora do CENSE – Centro de Investigação em Ambiente e Sustentabilidade da FCT NOVA

Artigo completo na Indútria e Ambiente nº127 mar/abr 2021, dedicado ao tema 'Sistemas de gestão ambiental, certificação e auditoria'

Nuno Videira

Investigador do CENSE – Centro de Investigação em Ambiente e Sustentabilidade

Se quiser colocar alguma questão, envie-me um email para info@industriaeambiente.pt

Newsletter Indústria e Ambiente

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia e Gestão do Ambiente.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.