Madeira vai ter sistema de armazenamento de energia com baterias

  • 22 novembro 2021, segunda-feira
  • Energia

A Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM) adjudicou a um consórcio constituído pela Siemens e pela Fluence um contrato para a instalação de uma central de armazenamento de energia com baterias, que será integrada num conceito de microrede.

“O projeto permitirá à EEM melhorar a integração de energias renováveis, criando as condições para que a quota de renováveis no seu mix energético aumente significativamente para cerca de 50 por cento”, lê-se em comunicado divulgado pela Siemens.

Em consequência disso, a ilha poderá reduzir o seu consumo de combustíveis fósseis ao longo dos próximos dois a três anos, ao mesmo tempo que ganha maior independência energética “sem afetar a qualidade da energia ou a estabilidade da rede elétrica”, acrescentou a empresa.

De acordo com o comunicado divulgado, o sistema de armazenamento de energia com baterias, integrado num conceito de microrede, também melhorará a sustentabilidade da ilha, uma vez que reduzirá a sua pegada de carbono e integrará fontes de produção de energia mais diversificadas.

Em simultâneo, permitirá à EEM manter altos padrões de fiabilidade e disponibilidade na distribuição de energia. “Uma das suas funcionalidades únicas será a capacidade de blackstart de uma parte da rede de 60 kV [quilovolt], permitindo a restauração dos serviços de rede em caso de uma falha de energia”.

Localizado ao lado da Central Termoelétrica da Vitória, o sistema de armazenamento de energia deverá começar a operar no segundo trimestre de 2022.

“As tecnologias de Grid Edge, tais como o armazenamento de energia, desempenham um papel fundamental na descarbonização de ilhas e comunidades remotas. Não só permitem a integração de fontes de energia renováveis intermitentes, como também aumentam a flexibilidade e a resiliência da rede elétrica. O sistema de armazenamento de energia na Madeira, combinado com as nossas soluções digitais para a gestão inteligente de energia, irá acelerar significativamente a sua transição para um fornecimento de energia sustentável e fiável”, disse o CEO da unidade de negócios Distribution Systems da Siemens Smart Infrastructure, Stephan May.

“Com a implementação na ilha desta central de armazenamento com baterias, pretendemos reduzir o número de geradores térmicos que dependem de combustíveis fósseis e aumentar a penetração de fontes de energia renováveis sem correr o risco de apagões, e ao mesmo tempo garantir uma regulação ótima da frequência do sistema elétrico da Madeira“, realçou o presidente do Conselho de Administração da EEM, Francisco Taboada, acrescentando que, “assim que entrar em serviço, esta central terá um papel extremamente importante como reserva energética rápida para fazer face a variações repentinas quer na produção, quer na carga”. 

O projeto, que será executado em regime de 'chave-na-mão', prevê a construção de um sistema de armazenamento de energia com baterias com capacidade de 22,5 MVA/15,6 MWh. A tecnologia de armazenamento de energia será fornecida pela Fluence, uma joint venture entre a Siemens e a AES. O consórcio construirá uma solução de armazenamento ao ar livre, que incluirá uma e-house, o produto Gridstack de sexta geração da Fluence e transformadores.

Para além do fornecimento dos quadros de baixa e média tensão e dos sistemas de proteção e controlo, a Siemens assegurará a total integração do sistema de armazenamento de energia na rede elétrica da ilha.

O consórcio terá ainda a seu cargo a manutenção dos equipamentos e sistemas fornecidos durante os próximos dez anos.

Newsletter Indústria e Ambiente

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia e Gestão do Ambiente.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.