Europa investiu recorde de 26 ME em eólica offshore em 2020

  • 12 fevereiro 2021, sexta-feira
  • Energia

A Europa investiu 26,3 mil milhões de euros em energia eólica ‘offshore’ em 2020, um valor sem precedente, apesar da pandemia Covid-19, no financiamento de projetos de 7,1 gigawatts (GW).

“Apesar das restrições da Covid-19, a Europa confirmou um montante recorde de 26,3 mil milhões de euros de investimentos em novos parques eólicos ‘offshore’ em 2020. Isso financiará 7,1 GW de novos eólicos ‘offshore’ que serão construídos nos próximos anos”, anunciou a associação WindEurope, em comunicado.

A associação considerou que “26 mil milhões em novos investimentos em 2020 é um grande voto de confiança na energia eólica ‘offshore’” e mostra que “os investidores veem que a energia eólica 'offshore' é barata, confiável e resiliente - e que os governos querem mais”.

O presidente executivo da WindEurope, Giles Dickson, afirmou, na mesma nota, que aqueles investimentos “criarão empregos e crescimento” e espera “que as 77 mil pessoas que trabalham com energia eólica ‘offshore’ atualmente na Europa, sejam 200 mil até 2030”.

De acordo com os mais recentes dados da WindEurope, no ano passado a Europa instalou 2,9 GW de nova capacidade eólica ‘offshore’, um valor que está em linha com as suas previsões antes da pandemia.

“As novas instalações mostram a resiliência da indústria eólica ‘offshore’. Os parques existentes na Europa continuaram a operar e continuamos a construir novos parques eólicos e a fazer novas turbinas”, afirmou Giles Dickson.

No ano passado, entraram em funcionamento nove parques eólicos ‘offshore’ em cinco países europeus: a Holanda instalou 1.493 megawatts (MW) e concluiu o Parque Eólico Borssele, a Bélgica instalou 706 MW, o Reino Unido 483 MW e a Alemanha 219 MW.

Também Portugal concluiu a instalação de um parque eólico ‘offshore’ flutuante, cofinanciado pelo programa NER300 da União Europeia.

Assim, a Europa tem agora 116 parques eólicos ‘offshore’ em 12 países, com 40 por cento da capacidade localizada no Reino Unido.

No entanto, segundo a WindEurope, há novos atores a entrar em cena, nomeadamente a França, que vai começar a construir os seus parques, após as decisões finais de investimento de um GW, que deverão estar concluídos até 2023.

Por sua vez, “a Polónia aprovou uma lei histórica de energia eólica ‘offshore’, que visa 28 GW de energia eólica ‘offshore’ até 2050” e iniciaram um acordo de cooperação com os países bálticos.

“A energia eólica ‘offshore’ deixou de dizer respeito apenas ao Mar do Norte. Está a tornar-se rapidamente um assunto pan-europeu, com cada vez mais países a assumir compromissos nesse sentido. Polónia, Espanha, Grécia, Irlanda e os três Países Bálticos, todos têm planos. E o rápido avanço da energia eólica ‘offshore’ flutuante vai ajudar na expansão no Atlântico, Mediterrâneo e Mar Negro”, apontou Giles Dickson.

A Comissão Europeia apresentou, no ano passado, a Estratégia de Energia Renovável ‘Offshore’ da UE, que desenhou o quadro regulamentar para a expansão do desenvolvimento eólico ‘offshore’ e definiu uma meta de 300 GW até 2050, 25 vezes mais do que a UE tem atualmente.

Newsletter Indústria e Ambiente

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia e Gestão do Ambiente.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.