Plataforma colaborativa para espaços florestais

  • 27 março 2017, segunda-feira
  • Gestão

O GeoForest é uma plataforma colaborativa para a visualização e exploração de informação geográfica relativa aos espaços florestais, dinamizada pela Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega (AFEDT) com o apoio da Esri Portugal. O objetivo é criar comunidades florestais inteligentes através da partilha de informação e colaboração no setor florestal.

 A ideia é criar «uma estrutura que englobe as questões relacionadas com a defesa da floresta contra incêndios e com a sensibilização da população em geral, disponibilizando um conjunto de ferramentas de apoio à decisão», segundo a AFEDT.

O GeoForest vai promover a criação de aplicações específicas de visualização de dados geográficos referente aos espaços florestais, que serão disponibilizadas através da plataforma ArcGIS e que se irão focar em cinco temas base: Colaboração, Compromisso, Consciência, Análise Espacial e Mobilidade. Por “colaboração e compromisso” entende-se proporcionar à comissão municipal de defesa da floresta um conjunto de ferramentas de apoio à decisão. O tema “consciência” está ligado à definição da probabilidade anual de incêndio florestal e de zonas críticas, além da tomada de consciência do risco pela comunidade e definição de medidas de autoproteção. A “análise espacial” implica analisar a suscetibilidade do território para a ocorrência do fenómeno, a vulnerabilidade das populações e as prioridades de defesa. Finalmente, por “mobilidade” entende-se a disponibilização de um conjunto de ferramentas de apoio à decisão no teatro de operações e de apoio ao trabalho de campo.

«No decurso dos incêndios florestais de 2016, apercebemo-nos que muitas entidades envolvidas no combate aos fogos desenvolviam o seu trabalho com base em informação empírica e/ou documentação em papel, alguma já bastante desatualizada», refere Edgar Barreira, Consultor de Negócios da Esri Portugal. «Daí termo-nos associado de imediato a esta iniciativa da AFEDT, disponibilizando o acesso à Plataforma ArcGIS que é, reconhecidamente, a tecnologia de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) de eleição para a concretização de uma estratégia de gestão sustentável da floresta e para responder às necessidades quotidianas das organizações do setor», afirma.

O ArcGIS suporta todas as operações de planeamento, gestão, manutenção e atualização da informação geográfica que é utilizada na defesa da floresta contra incêndios. «Permite recolher dados precisos e fiáveis e editá-los no terreno; gerir eficazmente a informação, assegurando a manutenção e atualização contínua dos dados geográficos; disponibilizar informação técnica a qualquer momento, em qualquer lugar e a todos os utilizadores e partilhar e divulgar os elementos recolhidos e o resultado das suas análises com os diferentes agentes florestais e com as autoridades de Proteção Civil», sublinha Edgar Barreira.

Numa primeira fase, a AFEDT conta já com a colaboração da Esri Portugal e dos municípios parceiros (Amarante e Cinfães) enquanto entidades que contribuem com dados para o projeto. Numa segunda fase, o GeoForest deverá ser alargado a mais autarquias da região e ainda a outras entidades como Corporações de Bombeiros, o Instituto Nacional para a Conservação da Natureza e Florestas e a GNR.

Mais informação: http://geoforest.maisfloresta.com/

Newsletter Indústria e Ambiente

Receba gratuitamente no seu email todas as novidades e eventos sobre Engenharia e Gestão do Ambiente.